Insights: Semelhantes ou Diferentes?

É eu sei que eu deveria me dar um puxão de orelha por demorar tanto tempo pra ter um Insight ou usar os antigos que estão guardados aqui. Porém existem dias, épocas, semanas, que estamos tão fora de si, do mundo, que nada faz sentido. E esse foi o meu caso. Andei por aí, fora do mundo de Bia. (O que não é nada legal, aqui é mais divertido). 

Sempre gostei de estudar e ler sobre várias coisas, dentre essas minhas pesquisas malucas e sem o menor sentido (aparentemente), eu sempre encontrei algo que era para mim. Afinal de contas as coisas acham você, não é você que acha elas. Isso pode ser uma  música, uma frase, um livro, uma foto ou até uma pessoa inteira.

Gosto de dizer que essa forma estranha é o jeito que o Universo (Deus, Vida, Buda, Alá, o que você se sentir melhor em citar) tem para conversar comigo. Para me mostrar uma pequena mensagem que eu estou precisando ler/ouvir/ver. E isso por muitas vezes passa tão despercebido que perdemos uma grande oportunidade de encontrar uma atalho para aquele caminho longo,  cansativo, chato e cheio de dificuldades.

Há algum tempo atrás eu li o livro e assisti o DVD daquele Best Seller (O inglês, fica muito chic no texto mesmo), O SEGREDO, que ensinava você a mentalizar coisas, pedir coisas pro universo e realizar tudo o que você queria. Bom nunca recebi cheques na minha caixa de correio e muito menos consegui um cavalo só meu.

Também andei estudando outras fontes, outras teorias e umas coisas á mais. E muitas tem coisas bem semelhantes. Mas para que ser um insight de verdade, aqui no mundo de Bia, essas teorias devem ser vivenciadas.

Com o tempo eu percebi que realmente existiam coisas que se repetiam na minha vida, conforme eu estava pensando e vivendo algo. Mas se tem uma coisa que não muda NUNCA é o fato de eu conhecer músicos, não importa onde eu esteja, qual a profissão da pessoa, sim, vai tocar algum instrumento, vai ser músico.

Isso é extremamente engraçado, hoje em dia, depois te tanto tempo que isso se repete eu não estranho mais. Porém, porque eu conheço tantos músicos nas situações mais inusitadas sendo que eu não sei tocar nem campainha?

De fato, meu amor pela música acaba atraindo para quem faz ela, isso é semelhança, o amor que eu tenho pela a música é algo que nunca vai mudar, é parte de mim, estático, uma energia que emana mesmo sem que eu perceba.

Mas então o que acontece quando conheço pessoas que são tão diferentes de mim? Que realmente é o meu oposto? Pois bem, isso é o “estado” que eu estou, não o que eu “sou” de verdade, são os diferentes. É a energia momentânea que eu passo (sem perceber) que acaba atraindo aqueles que estão nela, por mais passageira (ou não) que ela seja.

O problema não é esse, o problema é quando a sua vida entra em um verdadeiro imã de problemas, situações ruins, pessoas negativas (ou nada a ver) e você por mais que tente sair, não consegue entender o que está acontecendo. Pois bem, você está daquele jeito, então tudo que é daquele jeito se aproxima, se identifica, se assemelha. E cara, como gruda? Não é mesmo? Parece que vem um atrás do outro! É eu sei… e explico.

Se você “está” com um tipo de energia negativa (raiva, rancor, tristeza, desconfiança, magoa, maldade, inveja e por aí vai), você capta o objeto da mesma vibração (pode ser situação, pessoa, atitude, enfim). E esse por sua vez vai captar o próximo, e por assim em diante. Formando em torno de você uma fila gigante de coisas que não são suas, mas você acabou atraído porque “esteve” em baixa energia e mandou esse sinal.

Nunca vi uma coisa “ruim” acontecer isolada, parece que sempre vem uma atrás da outra, não é mesmo?

Quando essa onda energética vem, você tem que parar, olhar as coisas mais simples que são SUAS e focar nelas, pode ser o seu hobbie, pode ser seu animalzinho de estimação, pode ser uma bela música. Algo que te leve de volta ao seu ponto positivo, para que ele comece a trabalhar a seu favor. E claro, dar força pra ele, para que o positivo volte o mais rápido possível.

Agora, o que ninguém diz, escreve, é que no meio do furação, da série de coisas negativas, tristes e que chateiam a gente, sempre tem uma peça, uma luz, um certo herói (ou heroína), que vem para pegar na nossa mão e dar o devido alívio que tanto estamos procurando. Comece a observar, ás vezes você tem uma mão para te tirar daquilo que te machuca, mas por desconfiança, medo você nem repara. Aproveite! Isso encurta o caminho a ser trilhado. Anjos existem e sempre são enviados, basta olhar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s